quinta-feira, 18 de abril de 2013

Alinhando as Vontades





Muitas vezes nos vemos clamando ao nosso Ser por coisas que almejamos. Quando procedemos assim, estamos limitando a atuação do universo. É o mesmo que solicitar o amor já selado por nós previamente.

E enquanto aguardamos por algo que não entra em sincronicidade, nos embrenhamos por buscas que acabam em nada. Sentimos que perdemos tempo e que a dor nos mostrou um pouco mais da sua face. Lembre-se de que o único propósito da dor é nos fazer cientes de que não precisamos dela.

O como pedir nada tem haver com o que pedimos. O primeiro passo é mudar o foco. Se estivermos querendo algo podemos usar esse almejo como impulso para chegar ao Pai e entregar em Suas mãos essa inquietude. Nesse ponto o foco muda, pois ao invés de dizermos ao Pai o que queremos, vamos deixar que Ele nos mostre a Sua vontade. Essa é a função da Mônada Divina e temos que respeitá-la. Observe a máxima essênia: “Lance teu fardo sobre a Mônada Divina e ela se susterá”.

Depois de realizar essa mudança de foco ainda teremos que ordenar que a nossa vontade se alinhe com a vontade Dela. Somente quando as duas mônadas se alinham é que a mágica da criação ocorre. Porém, isso jamais acontecerá de baixo para cima.

Nesse ponto será preciso uma expansão do campo de visão feita conscientemente, ou seja, deveremos abrir mão da visão da recompensa e olhar para a visão da fonte.

Recompensas são conseqüências de um justo pensar, sentir e agir. Elas fazem parte do pacote completo da criação. Então temos que ser mais confiantes de que as receberemos.

Um bom exercício é começar a contemplar o nosso propósito dentro da coordenada em que nos encontramos. Lembre-se de que tudo é matemática para o universo. Existe um propósito maior e um menor. O maior é a visão da fonte e o menor a visão da recompensa.

Peguemos como exemplo algo simples. Você quer uma casa e pede à sua Mônada Divina por ela. Depois de pedir começa a pensar em formas de tê-la e então sai na busca dos meios de se ter uma casa. Nesse ponto em que o foco é a parte menor, caímos na dor.

Ampliando a visão nos colocamos no topo da montanha e ao olhar o todo, avistaremos a casa como fazendo parte do todo dentro desse propósito maior. Então vemos o caminho do amor, da fonte de tudo que há.

Por isso é importante a investigação do propósito de estarmos dentro de uma realidade. Indague a si mesmo qual o propósito de ter sido atraído para ela. Essa simples contemplação te levará ampliar a forma de ver e te levará a transferir a Vontade da Mônada Divina.

Quando a sua vontade se alinhar então o todo começará a fluir.


Um beijo no coração!

Eterna

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"O segredo do poder é >> acumular"



Muitos buscam poder. A idéia de poder encanta. Atrás de poder estão todos os que almejam altos cargos executivos e também estão atrás de poder os que almejam lideranças de todos os tipos.
Também pela busca de poder, alguns se embrenham por caminhos ocultos e místicos.
Porém, ter poder é muito simples e bem menos trabalhoso do que os exemplos supra citados.
Poder é força de atração e repulsão, pois o poder é feito de movimento, ou seja, ki(deus//força) em ação.

Atrair o que queremos e repulsar o que não nos agrada. Então, quanto mais força mais poder.

Essa força nada tem haver com força bruta, tampouco com obter as coisas na marra, pela pressão.

O princípio aqui é acumular.


O acúmulo de força nos dará maior poder de negociação. E isso em tudo na vida, desde o poder de "ter" até o poder de "ser".

Acumular dinheiro segue o mesmo princípio do acúmulo do ki.

Alguns universos (pessoas) julgam equivocadamente de que conseguir as coisas gastando fará com que tudo chegue mais rápido. Esses imediatistas jamais, e quando digo jamais é no mais radical possível, experimentarão o PODER GENUÍNO.

Correr atrás de dinheiro para ter e ser mais e mais e quando finalmente se está com ele nas mãos tratar de gastá-lo, fará nascer dentro de si uma relação de amor e ódio pelo poder. Por que tanta pressa de se livrar antes mesmo de acumular?

Esse conflito estabelece um estado crônico de ausência da paz. A ausência de paz cria desejos que por sua vez é um imenso gerador de necessidades. A necessidade tem pressa. Porém é tudo ilusão.

Um dia saí com uma amiga e fomos passear num hipermercado. Ao chegarmos lá estavam expostas no corredor jarras de suco lindíssimas como a muito não víamos. Design inovador, cores exóticas e imediatamente nossa mente começou a gerar justificativas para comprarmos a tal jarra.

Daí olhei para ela e disse. - Espera um pouco...antes de entrar aqui estávamos precisando tanto assim de uma jarra de suco? aliás foi para comprar uma jarra de suco que viemos até aqui? - É mesmo né? responde minha amiga...e ufa! deixamos a tal necessidade recém gerada pela mente morrer de inanição.

A situação piora ainda mais quando se cai no sonho dos tais "cartões de crédito". Oras, se tudo o que somos e temos é reflexo dos méritos pré acumulados dentro, onde se encaixa o cartão de crédito? Em lugar algum do universo voltado ao prato cósmico se pode ser ou ter antes de acumular.

Portanto os cartões são armadilhas da mente básica que se vitimou à falta de paz!

No entanto nosso espirito precisa ser reprogramado a acumular. Desde sempre seguimos exemplos do gastar. Os seres gastam-se literalmente até não sobrar nada e se acaba no vermelho. Muitas vezes a existência acaba e as dívidas são deixadas de herança.

Fomos feitos para termos tudo e sermos grandes e se não temos e ainda não somos poderosos é porque não aprendemos a acumular.


Um beijo no coração!

  Eterna

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Focando-se nas soluções



Você é daquelas pessoas que quando está angustiada suspira fundo e diz: Meu Deus, o que estou fazendo de errado?

Bem, se esse for seu caso então está na hora de exercitar a mudança de foco. Observe o foco da pergunta tendo em mente de que a razão de ser do SER "é" o próprio SER e não somente a idéia de SER..

..então focar-se no problema te colocará imediatamente dentro da vivência solicitada. Por que? Porque você pediu, ordenou e a "ÙNICA" forma do seu SER te responder será vivenciando.

O SER é você tanto na parte íntegra quanto na fragmentada e ELE ensina na ação.

Experimente mudar o foco >>

Então, diante da crise podemos perguntar: - Onde está a solução? ou então : - O que preciso ver para solucionar isso? ou ainda: - O que posso fazer de justo e qualificado para essa ou aquela situação?

Nesses momentos você se focou nas soluções e por isso as vivenciará.

Isso ocorre porque uma inquietude sincera estará carregada de emoção. Sabemos que a emoção gera movimento e portanto te dará o poder de mudar o ponto de aglutinação.

Mudar o ponto onde as informações se aglutinam nos fará acessar um mundo inteiro de vivências.


Um beijo no coração!

Débora Alves da Luz

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Ho'oponopono




O Ho'oponopono é um apelo à Divindade



Quando sofremos com algum problema, seja ele um problema de relacionamento com outra pessoa, problema de saúde, ou quando a auto-estima está em baixa, quando nada parece dar certo, ou não ter solução em vista, o que continuamos fazendo? Continuamos buscando soluções e respostas através da atividade da mente, da análise de experiências passadas, do conhecimento adquirido ou consultado, tudo isso é o intelecto querendo resolver os problemas. Mas pelo Ho’oponopono compreendemos que o intelecto não dispõe dos recursos para resolver problemas, ele só pode manejá-los. E manejar não resolve problemas

Ao fazer o Ho’oponopono você usa seu KI (deus), para limpar, purificar a origem destes problemas, que são as recordações, as memórias se repetindo em sua Mente Subconsciente. Você assim neutraliza a energia associada à determinada pessoa, lugar ou coisa. No processo, esta energia é libertada e transmutada em pura luz.
E dentro de você o espaço liberado é preenchido pela luz//cor.

Então, no Ho’oponopono não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, ou sua origem. A sua responsabilidade está em quebrar a continuidade do padrão dos acontecimentos, interrompendo a respiração do engano e rompendo a "condição" de sofrimento. Lembre-se de que a única finalidade da dor é fazer com que fiquemos conscientes que não precisamos dela.

Isso porque o ser humano só pode viver de duas maneiras: uma, pela programação adquirida, memórias se repetindo, a outra pelas inspirações.

No momento que você nota dentro de si algum incômodo em relação a uma pessoa, ou lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza.

“Deus do meu coração, limpe em mim as memórias que estão causando este problema. Transmute-as em pura luz”

Então use as frases desta seqüência: “Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.” várias vezes, você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la. Deixe sua intuição lhe guiar.

Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo.

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo para o universo te perdoar, você está solicitando a luz específica para alcançar a frequência do perdão.

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa sua mônada humana à sua mônada divina.

“Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos. Gratidão é o mesmo que alegria. Quando você agradece é como se o universo exclamasse: - Agradeceu...então, já compreendeu !

Lembre-se de que o universo qualificado jamais repete um ensinamento. Uma situação recorrente vem de um fragmento preso num acontecimento.

À partir deste momento o que acontece a seguir é determinado pelo intento. Você pode ser inspirado a tomar alguma ação, qualquer que seja, ou não. Se continuar uma dúvida, continue o processo de limpeza e logo terá a resposta quando completamente limpo.


Com o Ho’oponopono estamos assumindo a responsabilidade pelas memórias que compartilhamos com as outras pessoas. Pesquisas mostram que a todo momento existem 11 milhões de “bits” de informação em nossa volta, mas só percebemos 15 “bits”, e são em cima desses “bits” que julgamos as coisas! Portanto, não sabemos o que realmente está acontecendo. Então dizemos para a Divindade:- “Se existe algo acontecendo em mim que me faz vivenciar as pessoas de determinada maneira, eu gostaria de liberar isso.” Largando de mão essa vontade de consertar as coisas, de mudar as pessoas, deixando o intento fazer.

Mudamos nosso mundo interno, o que resulta numa mudança também no mundo externo.

Recapitulando : Intento não é intenção ok? A intenção vem do intelecto...intento é deus (ki).

Devemos também sempre nos lembrar que o perdão é um processo, portanto, tenha em mente que hoje é um bom dia para perdoar.
Falando assim, parece estranho, mas se você desejar melhorar a sua vida, você deve cura-se e perdoar-se.
Se você deseja curar ou perdoar alguém, mesmo um criminoso mentalmente doente, você faz curando a si mesmo.
É tão simples!
Nada está do lado de fora, mas dentro de você, da sua mente.

"Tudo o que é genuíno é de dentro para fora e esse "TUDO" é no mais radical possível"

- Para todos e para cada um de vocês: Sinto muito, eu te amo
Ho’oponopono que vem como uma possibilidade preciosa de limpar essas memórias que nos limitam e não permitem que o fluxo do Rei e do KI seja constante

Cada memória que limpamos nos abre mais possibilidades de ampliar as nossas experiências... e sentimos isso de forma cada vez mais real.
Quando faço o Ho’oponopono um fluxo invisível de energia me faz sentir nitidamente a conexão com o Divino... é algo quase palpável e algumas vezes a energia é extremamente forte e me faz sentir muito bem

Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus para te perdoar, você está pedindo a Deus para te ajudar se perdoar

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa você ao Divino

“Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos

Ao fazer o Ho'oponopono você pede a Deus, a Divindade, para limpar, purificar a origem destes problemas, que são as recordações, as memórias. Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa. No processo esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade. E dentro de você o espaço vagado é preenchido pela luz da Divindade. Então, no Ho'oponopono não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, sua origem


Lembre-se sempre que o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é auto cura. Na medida em que você melhora o mundo também melhora. Assuma esta responsabilidade. Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.


O Ho'oponopono é uma ferramenta fantástica de limpeza de todo esse lixo das crenças acumuladas que guardamos no subconsciente e que ditam as nossas ações

Em Havaiano, Hoo significa “causa”, e ponopono quer dizer “perfeição”, portanto Ho’oponopono significa “corrigir um equívoco” ou “tornar justo”.

O Ho’oponopono é um apelo a Divindade para cancelar as memórias que estão se repetindo como problemas

Ser 100% responsável é um caminho de pedras, por ser o intelecto tão insistente. Quando nos ocorre um problema o intelecto sempre busca alguém ou alguma coisa para culpar. Insistimos em procurar fora de nós a origem dos nossos problemas.

A Morrnah Simeona, professora do Dr. Len, ensinava que; ”Estamos aqui somente para trazer Paz para nossa própria vida, e se trazemos a Paz para nossa vida tudo em nossa volta descobre seu próprio lugar, seu ritmo e Paz.”. Esta é a essência do processo Ho’oponopono

Sem os pensamentos se repetindo, sem crenças limitadoras, sem condicionamentos, sem as lembranças dolorosas, um espaço vazio se abre dentro de você. O Ho’oponopono lhe permite soltar estas recordações dolorosas, que são a causa de tudo que é tipo de desequilíbrios e doenças. Na medida em que a memória é limpa, pensamentos de origem Divina e Inspiração ocupam o vazio dentro de você. A única coisa que devemos fazer é limpar; limpar todas as recordações, com quatro simples frases que abrangem tudo:

Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato

O mundo é um reflexo de quem somos, que somos todos um, que tudo começa e termina em nós.


1. O universo físico é uma realização dos seus pensamentos.

2. Se seus pensamentos são cancerosos, eles criam uma realidade física cancerosa.

3. Se seus pensamentos são perfeitos, eles criam uma realidade física transbordando AMOR.

4. Você é 100% responsável por criar seu universo físico como ele é.

5. Você é 100% responsável por corrigir os pensamentos cancerosos que criam uma realidade doente.

6. Não existe lá fora. Tudo existe como pensamentos em sua mente

Você julga ou condena alguém por algo que tenha dito ou feito, ou deixado de dizer ou fazer?

Você julga ou condena quando sabe que alguém está doente, porque não teve bons hábitos alimentares ou higiênicos ou sexuais?

Você julga ou condena quando vê alguém repetir uma situação?

Você julga ou condena quando alguém sofre por um mal, que outra pessoa tenha feito?

Então, você é humano!

E por ser humano, tem consciência de seus pensamentos, portanto, condições de modificá-los, se quiser...

Esse processo consiste em curar e perdoar primeiramente você, porque somos espelhos do mundo, o mundo reflete nossos pensamentos e ações, as pessoas refletem nossos pensamentos, ações, emoções e comportamentos

Lembre-se, um problema é uma memória repetindo uma experiência do passado. O Ho’oponopono é um apelo à Divindade para cancelar as memórias que estão se repetindo como problemas. O Dr. Len mantém essa frase em mente sempre; “A paz começa comigo”, é o que ele procura praticar embora ainda tropece vez ou outra

Apreender a natureza do Cosmos tem inicio com o insight de Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo”.

“Memórias revividas ditam o que a Mente Subconsciente experiencía”.

“A Mente Subconsciente experiencia através da imitação, ecoando as memórias revividas. Ela se comporta, vê, sente e decide exatamente o que as memórias ditam. A Mente Consciente também opera, sem conscientizar-se disso, através de memórias revividas. Elas ditam o que a Mente Consciente experiencia, como pesquisas demonstram”. Só temos que reverter o processo.

“É crucial no processo de resolução de problemas, nos darmos conta de que o corpo e o mundo não são problemas por si mesmos, mas sim os efeitos, conseqüências, de memórias revividas na Mente Subconsciente!


Beijos eternos !!! e lembre-se : "Nós cuidamos dos nossos"

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A questão da perda.

É verdade que toda perda é um processo dolorido, sofrido. Um processo que nos faz pensar e repensar, refletir sobre nossas vidas, nosso tempo, a forma como aproveitamos ou não esse milagre que é viver e se relacionar, estabelecer relações. Tudo isso faz sentido se ampliarmos o conceito da morte e compreendermos que morremos todos os dias e, renascemos todo amanhecer. A morte nada mais é que o fim de um ciclo e início de outro.


Desapego

E, se morremos, ou melhor, perdemos algo de um lado, de outro ganhamos com certeza. Morrer, romper, terminar, deixar – tudo isso demanda desapego, amor próprio, demanda o aceitar, confiar e agradecer o que recebemos. Um alento é saber reconhecer que só perdemos o que não temos. Explico: só perdemos o que não é nosso, não nos pertence, não agrega, não soma, não nos faz melhor.
Vou tentar clarear… Se só perdemos o que não temos – tudo o que temos levamos conosco. Sensações, emoções, sentimentos – tudo o mais é transitório. Isto é, se alguém próximo se foi, podemos sempre ficar com o que construímos. Com o que vivemos e experimentamos juntos. É de fato só isso o que temos – bons ou maus momentos(memória onírica).
Talvez por isso muitos afirmem que a felicidade é uma soma de bons momentos… Ser feliz é estar mais feliz do que triste no tempo que temos para administrar nessa passagem. O quanto antes conseguirmos entender que a vida é uma passagem, viver se tornará muito mais possível além de mais prazeroso, mais delicado.
Então, exercitar o desapego, o soltar as amarras e travas que nos distanciam do que temos de melhor – nós mesmos – ficará muito mais fácil. Saber o que temos é, por isso, parte do nosso crescimento. Do nosso autoconhecimento, nossa autodescoberta. E, para tanto, precisamos passar a olhar com os olhos da verdade, da beleza, da ética, do amor… No mais, tudo vai dar certo.


Máscaras

A questão é que, por vezes, temos tanto medo de olhar a nossa verdade que utilizamos diferentes artimanhas para nos afastar desse nosso centro. Vivemos assim com base no medo de sermos descobertos; na ilusão de que vamos conseguir enganar a todos, inclusive a nós mesmos e, nesse sentido, inflamos nosso ego, praticamos a vaidade, nos apegamos a uma imagem ou imagens que não podem ou jamais serão nossas.
Por isso sofremos. Sofremos nas nossas relações, na nossa existência. Afinal, bem no nosso íntimo sabemos que a máscara que tanto lustramos um dia cairá. E então vamos de uma única vez nos deparar com tudo o que fizemos para tentar tapar o sol com a peneira – a nossa alma, nossa essência – com os véus… Desiludimo-nos, perdemos o outro, perdemos a relação…
Em função de tudo isso fica aqui um convite: faça uma auditoria pessoal. Tente compreender o que é de fato seu e o que não é. Depois de tudo visto, liberte-se. A relação com certeza agradecerá… O outro universo e o seu SER também.


Um beijo no coração!

Eterna

sexta-feira, 5 de março de 2010

MINHA COMPREENSÃO DO KUNG FU


O kung fu cresce na medida da força investida que advém DELE ou ATÉ ELE. Então podemos afirmar que o kung fu confere poder de neutralizar a violência, pois busca colocar o ki em equilíbrio.

Lembrando que ki é energia própria//individual que pode expandir e até acordar.

O kung fu é o exercício dessa elasticidade energética e por isso nos faz eficientes, bastando pra isso o foco numa forma qualificada de SER e FAZER.

Kung fu é uma palavra chinesa, porém se fôssemos traduzir para nosso idioma teríamos algo como "tempo e habilidade", ou seja, algo adquirido através do foco e empenho.

Além de preparar o corpo como o próprio termo sugere também limpa e alinha os centros da máquina humana.

Em suma, esse ato consciente faz fluir a vida. Vida é movimento. Então kung fu é vida.

Equivocadamente se escravizou a palavra kung fu à pratica marcial de luta (wushu), porém kung fu vai além disso.

Então dentro do Wushu está intrínseco o kung fu. Porém nem todo Kung fu se expressa pelo Wushu(arte de luta).

Por exemplo »» Quem toca um instrumento de forma consciente, ou seja, com total compreensão do movimento gerado pela sua musica, está usando kung fu.

Para qualquer ação que precise tempo e habilidade se usa kung fu.

O kung fu não pertence a um grupo de pessoas,associações ou federações. Ele pertence à todos que possam alcançá-lo.


Um beijo no coração


Eterna

terça-feira, 2 de março de 2010

Jamais puna...apenas ajuste!


De repente o desavisado pode confundir ajuste com punição e diz: - Mas fiz isso para o bem do meu filho(a).

- O que fez para o bem dele(a)?

- Tirei o computador,tirei algumas regalias, o constrangi falando sobre seu erro.

Saiba que tudo isso só demonstra um imenso e profundo desconhecimento da vida em sua forma quântica.

O que sela toda criação é nossa emoção. Então que tipo de emoção você pensa gerar com esse tipo equivocado de ajuste?

Se você provocar emoções baixas irá "causar" dor e portanto será a "dor" a ser perpetuada.

A emoção é como um "laser" que grava as impressões em nossa psiquê. E impressão é diferente de informação.

Informações são mais fáceis de transformar do que impressões.

Existe uma máxima que diz: "NÃO SE PODE AFIRMAR SEM SER"

Então como podemos nos colocar numa posição de educador se ainda temos que educar a nós mesmos?

Primeiro temos que promover a auto-cura para então ousarmos curar.

Para aquele que pegou o caminho torto temos que mostrar como "é" o caminho justo e fazemos isso agindo com o foco no "como" deve ser e fazemos isso parando a respiração do equívoco.

Vamos dar um pequeno exemplo >>

Se um tio resolve financiar um "curso livre" para a sobrinha adolescente e todo mês manda-lhe o valor da mensalidade. Mas por algum motivo essa sobrinha precisa do dinheiro e usa-o, mas diz para o tio que está indo no curso normalmente.

Um dia o tio liga pro curso e descobre que a sobrinha faltou dois meses seguidos.

Esse tio não está aqui no mundo para julgar as ações dessa sobrinha.

O que deve fazer esse tio? Será que deve expor a sobrinha dizendo que já descobriu tudo?

Será que deve punir tirando dela esse presente que seu coração quer muito dar?

Qualquer uma dessas opções acima causará dor para ela e injustiça para ele.

O que deve fazer esse tio?

Ele deve se focar naquilo que quer e deixar parar de alimentar o equívoco com mais equívoco.

Então o que ele quis desde o início?

Quer que sua sobrinha seja feliz fazendo o curso e quer proteger o curso com as mensalidades.

Então deve ajustar a si próprio e buscar refletir sobre as lacunas deixadas entre seu coração e a mente da sobrinha, ou seja, ir até o local do curso e assumir diretamente os pagamentos e também a responsabilidade de levar a sobrinha pessolmente.

Só fazendo isso já estará informando para ela sem palavras de que sabe de tudo, e mostrando na ação que sua disposição de coração permanece intacta.

Agora adapte esse exemplo para qualquer circunstância e terá a receita do amor e da justiça.

Um beijo no coração de Kakine!